Destaque

Previsão do Tempo

POR MINUTO, 1 MILHÃO DE GARRAFAS PLÁSTICAS SÃO COMPRADAS NO MUNDO

Um milhão de garrafas de plástico são comparadas a cada minuto em todo o mundo, conforme informou um relatório da empresa de pesquisa Euromonitor International, obtido pelo jornal britânico "The Guardian". De acordo com o levantamento, esse número deverá crescer 20% em quatro anos, chegando ao consumo anual de meio trilhão de unidades até 2021.
 
Apenas em 2016, mais de 480 bilhões de garrafas plásticas foram vendidas em todo planeta, enquanto em 2004 a quantia era de 300 bilhões. A hipótese para justificar o aumento na comercialização de produtos engarrafados está relacionada à mudança no estilo de vida de populações asiáticas, como a China, que começaram a ter comportamentos "ocidentais".
 
No entanto, embora o material usado para fabricar as garrafas seja reciclável, o planeta não está conseguindo reutilizá-las em ritmo igual ou superior ao da sua produção, o que coloca em risco o meio ambiente.
 
Segundo o estudo, menos da metade das garrafas de plástico compradas em 2016 foram coletadas para reciclagem. Dessas, somente 7% se transformaram em uma nova garrafa, fazendo com que a grande maioria do material vá parar em aterros sanitários ou mesmo nos oceanos.
 
Fonte: Catraca Livre

ADOTAR A DIETA SEM GLÚTEN SEM NECESSIDADE É UM ERRO

Uma das dietas mais debatidas atualmente é a de restrição ao glúten. Embora fala-se muito sobre o assunto, ele ainda é cercado de dúvidas. Basicamente, essa proteína vegetal tão debatida está presente em tudo que é feito de trigo, cevada, malte e centeio. Ou seja, ela está presente em boa parte do cardápio brasileiro. Nem mesmo a cervejinha está livre dele.
 
Há quem diga que uma alimentação sem glúten é mais saudável e acaba adotando a dieta mesmo sem ser intolerante ou ter alergia a essa proteína. Mas a nutricionista Maria Fernanda D’ottavio, do Check-up do HCor, faz o alerta: cortar o glúten da dieta sem necessidade pode gerar uma intolerância futura.
 
“É como se o organismo esquecesse como digere o glúten. Então, se a pessoa fica muito tempo sem colocar o glúten no organismo, é como se aquela enzima que digere o glúten esquecesse a função dela e aí a pessoa pode vir a desenvolver, por exemplo, uma sensibilidade ao glúten”, explica a nutricionista.
 
Já quem tem a doença celíaca, que é uma condição crônica que afeta o intestino de pessoas geneticamente predispostas, precisa - de fato- abandonar a proteína.
 
A doença autoimune (ou seja, o próprio corpo rejeita a substância) causa atrofia da mucosa do intestino, prejudicando a absorção dos nutrientes, sais minerais e água. Os principais sintomas são: dor abdominal, diarreia, distensão do abdômen, queda frequente de cabelo, diminuição do apetite, lesões de pele, anemia e infertilidade.
 
Já a intolerância ao glúten, também chamada sensibilidade não-celíaca, não tem característica de doença autoimune e sistêmica, mas tem sintomas parecidos. Ela ocorre quando o glúten é mal digerido, mas possibilidades de doença celíaca e de alergia ao trigo foram descartadas.
 
Nesses casos, os nutricionistas recomendam algumas substituições na alimentação. A farinha de trigo, por exemplo, pode ser trocada pela farinha de arroz, amido de milho, fubá, fécula de batata, polvilho, mandioca e tapioca.
 
Então, antes de pensar em entrar em qualquer modismo e mudar sua dieta, confira os principais mitos e verdades sobre a restrição ao glúten:
 
Cortar o glúten da alimentação faz bem para a saúde
 
Mito
 
Segundo a nutricionista Maria Fernanda, do HCor, não há nenhum estudo que comprove que a alimentação sem glúten faz bem para saúde de quem não tem a doença celíaca ou intolerância. “O glúten é uma proteína que está junto dos carboidratos, então, quando você retira o glúten, você deixa o cereal mais refinado e consequentemente você perde fibras, vitaminas e minerais desse cereal”, explica.
 
Dieta sem glúten ajuda a emagrecer
 
Mito
 
Também não existe comprovação científica de que a restrição ao glúten ajude na redução do peso. De acordo com a nutricionista Maria Fernanda D’ottavio, o que acaba acontecendo é que quando a pessoa restringe o glúten, consequentemente, restringe muitos outros alimentos, como bolo, pão, macarrão, chocolate. Então, a consequência acaba sendo a redução de peso.
 
“O que é preciso para perder peso é ter equilíbrio, não adianta restringir um monte de coisa e nunca mais comer um determinado alimento. Até fica chato porque a pessoa acaba perdendo um pouco da vida social por restrições. Já se a pessoa tem a doença celíaca ou alergia ao trigo, aí são outras questões”, afirma.
 
A doença celíaca e a intolerância não-celíaca ao glúten podem aparecer em qualquer fase da vida
 
Verdade
 
Geralmente aparece do primeiro ao terceiro ano de vida, porém pode manifestar-se em qualquer momento, inclusive da vida adulta.
 
Aveia é fonte de glúten
 
Mito
 
A aveia em si não é fonte de glúten, mas às vezes ela pode ter traço de trigo por ter sido cultivada, armazenada e transportada junto com ele. Outro motivo é quando o equipamento que a refinou foi o mesmo utilizado para refinar a farinha.
 
A pessoa celíaca deve privar-se do glúten pelo resto da vida
 
Verdade
 
Sim, pois o único tratamento para o celíaco é a uma dieta rigorosa, onde devem ser retirados todos os alimentos e preparações que contenham o glúten. Já as pessoas com sensibilidade ou intolerância ao glúten não têm necessidade de privação do nutriente, pois a quantidade de glúten suficiente para causar sintomas varia de pessoa para pessoa.
 
Quem é celíaco precisa ficar atento a cosméticos e medicamentos também
 
Verdade
 
Isso acontece porque, nos cosméticos, por exemplo, o glúten é usado como emulsificante ou estabilizante. E nos medicamentos, ele é usado para dar consistência e forma, contendo muitos deles amido de milho.
 
A nutricionista Maria Fernanda lembra que muitas vezes as pessoas não se dão conta disso, mas alerta que a situação é grave. “Eu tinha um paciente com doença celíaca e o shampoo que ele usava desencadeava a doença por conta do extrato de gérmen de trigo na composição”, conta.
 
Fonte: Catraca Livre

CONHEÇA EM UM DIA OS 10 PONTOS TURÍSTICOS DO CAMINHOS DO GUAJUVIRA, EM ARAUCÁRIA

Quem deseja fazer um passeio diferente no fim de semana, mas sem ir muito longe e sem precisar de carro, pode explorar o turismo rural da Região Metropolitana de Curitiba. No Caminhos do Guajuvira, em Araucária, é possível visitar dez pontos entre parques, pequenos comércios locais e chácaras por R$ 35, com transporte de ônibus, guia turístico e um tradicional café da tarde rural incluídos.
 
Os locais oferecem serviços como passeios à cavalo, produtos artesanais, quitutes típicos, além de flores, vinhos e a possibilidade de, dependendo da época do ano, os visitantes colherem suas próprias frutas no pomar das chácaras. O roteiro funciona há mais de dez anos e já passou por várias alterações, mas mantém a predominância dos armazéns e chácaras de agricultura familiar na rota.
 
O passeio acontece todo sábado, com o ônibus partindo da R. Dr. Victor do Amaral, 358 ao lado do Banco do Brasil, às 13h30. A previsão de volta é às 18h30. É recomendado levar dinheiro, porque a maioria das casas ainda não contam com máquina para passar cartão.
 
Confira todos os pontos da atual rota:
 
1. Casa da Vó Sophia
 
A casa de artesanato regional vende cerâmicas, vidros, palhas de milho, crochês e outras peças a partir de R$ 10. Hoje comandada por Lourdes Terezinha Czarnik, o negócio fica em uma casa histórica datada de 1940, que pertenceu à família de Sophia Czarnik, sogra de Lourdes.
 
Serviço: Sábados, das 13h às 18h – (41) 999-450-234
 
* * *
 
2. Chácara das Flores
 
A Chácara das Flores é um recanto com as mais diversas espécies. São cerca de 20 variedades entre gerânios, véus de noiva e outras, cujos valores vão de R$ 3, caso do beijo japonês, até R$ 17, caso dos brincos de princesa. Outra atração é o pomar, cujos pêssegos podem ser colhidos pelos próprios visitantes, no estilo “colha e pague“. Mas é preciso atentar às datas — a época dos pêssegos vai mais ou menos do final de outubro até dezembro. “Nunca tem data certa, depende do clima do inverno“, comenta Silvestre Vwvaenga, dono do estabelecimento.
 
Serviço: De segunda a sábado, das 8h às 18h, e domingo, das 13h às 18h. Rua Camindá Araucária, zona rural.
 
* * *
 
3. Comercial Iguaçú:
 
Em atividade desde 1958, o Comercial Iguaçú é um pouco de tudo: açougue, mercado, bar e lanchonete. Dentre os destaques estão o pastel de requeijão artesanal feito na hora (R$ 3) e outros quitutes também artesanais, como o queijo colonial, requeijão, manteiga e linguiça, que custam entre R$ 16 e R$ 20 o quilo.
 
Horário de funcionamento: De segunda a sábado, das 7h30 às 20h, domingo das 8h às 12h. Rua dos Expedicionários Brasileiros, 2 – (41) 3647-1144
 
* * *
 
4. Chácara Baedeski:
 
A Chácara Baedeski oferece produtos colhidos e feitos na própria residência. A propriedade de agricultura familiar tem como ponto forte os morangos que, no inverno, custam R$ 2,50 a bandeja. Destes pseudofrutos também são feitos doces e geleias artesanais. A depender da época, há também pipoca, feijão, suco de uva e vinho artesanal (R$ 10) entre outros produtos que vão de R$ 2 até R$ 12.
 
Serviço: No sábado, das 13h30 às 17h. De segunda a sexta, apenas com agendando pelo número (41) 9231-1819. Rua Colônia Ipiranga, sem número.
 
* * *
 
5. Casa das Orquídeas:
 
Como sugere o nome, a Casa das Orquídeas oferece diversas espécies da planta. As mais comuns custam entre R$ 20 e R$ 30, caso da famosa Orquídea Cymbidium e também da “Olho de Boneca”. No começo do inverno, as orquídeas começam a formar seus botões, para florir em agosto.
 
Serviço: Todos os dias em qualquer horário, preferencialmente agendando a visita pelo telefone (41) 3642-3310. Avenida Independência, 4292
 
* * *
 
6. Rancho Louisiana:
 
Durante a semana, o Rancho Louisiana é um espaço de cuidados, treinamento e domas de cavalo. Mas quem for visitar o espaço no Roteiro do Guajuvira pode, além de contar com a presença dos animais, comprar produtos artesanais como queijos coloniais (em média R$ 12), geleias (em média R$ 8), compotas (em média R$ 15), frango caipira (em média R$ 35 com dois quilos) e frutas do pomar do Rancho.
 
Horário de funcionamento: Sábado das 10h às 17h. Rua Wadilsau Furman, sem número.
 
* * *
 
7. Chácara São Pedro:
 
A parada para o café do Roteiro de Guajuvira é na Chácara São Pedro. Bora polonesa, geleias, sucos, tortas, doces e salgados à vontade estão incluídos no pacote de R$ 35 do roteiro. Quem for por conta, sem o ônibus de turismo, paga R$ 25 no café. O espaço pode ser alugado para festas, pequenos eventos e grupos entre 20 e 60 pessoas. Além disso, a Chácara ainda oferece passeios a cavalo: cinco minutos de passeio custam R$ 5.
 
Serviço: Sábado, a partir das 16h. Rua Pedro Zielinski, 14 – 3642-3742
 
* * *
 
8. Centro Histórico de Guajuvira e Igreja Senhor Bom Jesus:
 
São construções históricas nas quais o visitante pode conhecer um pouco sobre a colonização de Araucária, muito influenciada pela cultura polonesa. A Igreja Senhor Bom Jesus foi inaugurada em 1972, depois de levar cerca de 13 anos para ser concluída pelas mãos e recursos dos colonos e moradores da região.
 
* * *
 
9. Araucária Acqua Park
 
O parque aquático é a mais nova atração do roteiro Caminhos do Guajuvira. Com 240 mil metros quadrados, o Acqua Park tem atrações como piscina de ondas, piscinas temáticas, infantis e tobogãs. O preço para o passaporte diário é de R$ 90 para adultos e R$ 45 para crianças.
 
Serviço: De segunda a sexta, das 9h às 18h. R. Yoshiaki Nagano, 121 – (41) 3031-0303.
 
* * *
 
10. Adega Pri Mattiello:
 
A Adega Pri Mattiello produz vinhos, licores, queijos e salames. Toda segunda e sexta-feira do mês tem costela a fogo de chão (R$ 45 o jantar completo), e nos outros dias é servida a costela na pedra (R$ 45 o jantar completo), desde que se faça o agendamento prévio, e outros quitutes como carne de onça com conhaque. Os vinhos custam a partir de R$ 22, enquanto os queijos e salames custam a partir de R$ 15 a peça.
 
Serviço: De terça a sábado, das 19h a 00h. Rua Papa João XXIII, n 379 – (41) 3552-1832
 
* * *
 
Serviço
 
Caminhos do Guajuvira
 
Todo sábado, com ônibus partindo às 13h30, com retorno previsto às 18h30
 
R. Dr. Victor do Amaral, 358 ao lado do Banco do Brasil
 
R$ 35 com café da tarde, ônibus e guia turístico incluídos. Crianças abaixo de 6 anos não pagam, entre 6 e 12 pagam R$ 20.
 
Informações e inscrições: (41) 3901-5214 ou 3901-5400
 
Fonte: Gazeta do Povo

EXERCÍCIOS FÍSICOS PODEROSOS PARA COMBATER O ENVELHECIMENTO

A ciência já comprovou: quanto mais as pessoas se exercitam, menos suas células envelhecem. Um estudo recente publicado pela revista Preventive Medicine verificou que os indivíduos ativos possuem marcadores de envelhecimento biológico que aparentam ter até 9 anos a menos que os sedentários.
 
E o que os pesquisadores notaram foi uma grande diferença entre os efeitos dos exercícios intensos e dos moderados. Da amostra analisada, quem praticava de 150 a 200 minutos semanais, ou seja, de 20 a 30 minutos, de atividades mais vigorosas tiveram melhores resultados que os se exercitavam com treinos mais leves.
 
O fisiologista do esporte do HCor, Diego Leite de Barros, que atua há 8 anos na profissão concedeu uma entrevista ao Movimente-se e comenta sobre a importância da prática regular de atividades físicas para combater o envelhecimento.
 
É claro que antes de iniciar qualquer atividade física, é indispensável passar por orientação médica para verificar se as condições de saúde permitem a prática segura de exercícios. Confira:
 
1) Praticar atividade física é uma forma de combater o envelhecimento?
 
Sim, é uma forma de ganhar autonomia, prevenir o desgaste muscular e te manter com diversos parâmetros de saúde de níveis adequados, como o colesterol, hipertensão, doenças no sangue. Além de proteger o coração, que vale lembrar também é um músculo e precisa ser exercitado. Independente se é uma atividade física intensa ou não, ela é uma ferramenta inquestionável no combate ao envelhecimento.
 
2) Quais as atividades físicas mais eficazes no combate ao envelhecimento?
 
Todas as atividades físicas são válidas, desde que estejam de acordo com o perfil do praticante e respeitem seus limites. É importante que a pessoa faça um exercício que lhe dê prazer. A partir do momento que ela faz uma atividade que gosta, ela vai fazer por mais tempo, pois vai fazer com prazer.
 
Hoje o que a gente mais percebe é que existem propostas mirabolantes e a cada 3 meses a pessoa muda de atividade dizendo que não alcançou o resultado esperado. Quando as pessoas fazem atividades com prazer e motivação, elas alcançam os resultados que esperam.
 
Corrida, caminhada, bicicleta e natação, treinamentos de força, treinamentos de mais intensidade, atividades mais leves, yoga, Pilates, funcional... todas estas e tantas outras atividades provocam benefícios. Desde que você faça de uma forma equilibrada, com orientação e de acordo com sua condição.
 
3) A partir de quanto tempo é possível sentir os benefícios que a prática da atividade física oferece? 
 
Os benefícios da atividade física podem ser sentidos logo a partir da primeira sessão de treinamento. O importante é dar continuidade à prática regular da atividade, de modo que se somem os estímulos.
 
É necessário um período de 3 meses para que haja uma adaptação física. Somente após 3 meses praticando a mesma atividade o corpo sofrerá uma adaptação neuromuscular, onde ele vai aprender o movimento específico daquela atividade.
 
Se você nunca nadou na vida e começa a fazer uma aula de natação é preciso treinar o seu cérebro para que ele execute o comando daquele movimento e isto leva uns 3 meses. A mesma coisa com a musculação e qualquer outra atividade: é necessário este período para adaptação neuromuscular.
 
Muitas pessoas sedentárias há 20 anos, por exemplo, passam a fazer atividade física e querem que o corpo responda de forma imediata, porém isso não vai ocorrer. É importante a prática constante para que sejam somados os estímulos e gradativamente o corpo passe a responder. Eis aí a importância de fazer uma atividade física prazerosa: para manter sua frequência.
 
4) As atividades físicas de alta intensidade trazem melhores resultados que as atividades moderadas? 
 
Eu não acho que as atividades intensas são necessariamente melhores que as atividades moderadas. A atividade intensa é muito difundida, principalmente o HIIT, que é o método tido como novo, mas ele existe a quase 50 anos. As pessoas criam uma nova roupagem para uma coisa e tentam vendê-la como algo novo.
 
É sabido que quando você propõe a qualquer ser humano, qualquer atividade de alta intensidade você tem um alto gasto calórico depois. Agora dizer que o treino de alta intensidade é melhor que uma atividade física moderada é um grande erro. Independente se é uma atividade intensa ou não, ela contribui para retardar o envelhecimento.
 
É importante praticar uma atividade física de acordo com o tipo de cada individuo. Há pessoas que se adaptam ao HIIT outras não. Vale até mesmo dizer que propor treinos HIIT para pessoas sedentárias ou obesas é um grande erro. Os ortopedistas estão cheios de pessoas com esse perfil em seus consultórios que fazem HIIT.
 
5) Qual a idade mínima e máxima indicada para começar a fazer atividade física?
 
Não existe uma idade mínima estipulada para começar a praticar atividade física. Isto, entendendo a atividade física como qualquer movimentação que gere gasto energético, muito presente na infância, que no caso das crianças são super ativas. Sendo assim, não há restrição de idade para atividade física. A idade máxima é até onde o organismo da pessoa permitir que ela se movimente.
 
Temos exemplos de pessoas com 100 anos de idade que praticam atividade física. Então a atividade física pode ser feita por pessoas de todas as idades desde que seja personalizada,  respeitando suas limitações e considerando alguma contraindicação específica, se houver.
 
Considerando as características do indivíduo sempre, é possível ter algum exercício para indicar. Dificilmente a pessoa não pode fazer atividade, a menos que ela esteja num estado de saúde muito debilitado. Há situações em que mesmo com uma doença pré-estabelecida é possível indicar uma atividade física adequada.
 
6) Idosos também devem praticar atividades físicas? Quais? 
 
A atividade física para terceira idade é sempre muito recomendada porque faz com que o idoso mantenha um padrão de força muscular adequado para que ele tenha autonomia em suas atividades diárias.
 
O trabalho com o idoso é muito importante também para a prevenção de quedas que nessa idade é muito recorrente. Equilíbrio, agilidade e coordenação motora são perdidas ao longo do tempo, se não forem estimuladas. Então para o idoso é importante fazer atividades físicas adequadas para que ele tenha autonomia.
 
A orientação são atividades controladas, em ambientes controlados, que não tenham incidência de sol. Ter um instrutor também é fundamental. Dentro deste conceito temos várias opções: atividades dentro de piscinas que têm menos impacto, Pilates que trabalham a atividade postural e caminhada. O que vale é o bom senso na hora de fazer o planejamento de treino dese idoso.
 
7) Qual a frequência recomendada que a pessoa deve praticar atividade física? 
 
Se formos pelas orientações da Organização Mundial de Saúde a frequência recomendada é de 3 a 5 vezes por semana, sendo no mínimo 30 minutos contínuos. Praticar atividades físicas menos de 3x por semana não vão trazer uma repercussão significativa.
 
O ideal mesmo é ter estímulos diários, ou seja, 7 vezes por semana. Mas como nem sempre, a maioria das pessoas tem essa disponibilidade, o mínimo seriam 3 vezes na semana, sendo 5 vezes o recomendado.
 
Vale lembrar que esta frequência varia conforme o tipo de atividade praticada. Se for uma atividade mais intensa, praticá-la 3 vezes na semana já está de bom tamanho. Porém se você for pensar numa caminhada leve, o ideal seriam 30 minutos contínuos todos os dias.
 
8) Você já teve conhecimento de algum caso em que a prática frequente da atividade física mudou a história de um paciente?
 
Tenho uma equipe de treinamento de corrida com mais de 100 alunos que tem pelo menos uns 50 que mudaram o padrão de vida e de qualidade de vida, a partir do início dos treinamentos. São inúmeros casos que a gente vivencia no dia a dia.
 
9) Para pessoa que está sedentária, que recado você daria para incentivá-la a inserir a prática regular de uma atividade física no seu dia a dia. 
 
Recomendo que o indivíduo procure uma proposta de atividade física que seja compatível com a expectativa que ele tem. É importante que ele vá atrás de uma atividade que gere prazer, que ela faça com vontade, porque assim fará esta atividade com frequência e terá mais qualidade de vida.
 
Fonte: Catraca Livre

DORMIR DEMAIS ELEVA RISCO DE DESENVOLVER PROBLEMAS DE SAÚDE

Que dormir pouco pode afetar nossa memória, dificultar o emagrecimento, enfraquecer a imunidade, entre outras coisas, muita gente já ouviu falar.
 
Mas saiba que dormir mais do que o necessário também é prejudicial à saúde, conforme alerta de cientistas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e do Instituto do Sono na última edição do World Congress on Brain, Behavior and Emotions (Congresso Mundial sobre Cérebro, Comportamento e Emoções, em português), realizado em Porto Alegre entre os dias 14 e 17 deste mês.
 
Os cientistas apontaram evidências de diversas pesquisas nacionais e internacionais que apresentam os riscos de dormir pouco e muito.
 
Em estudo da Universidade de Nevada, EUA, foi publicado no periódico Sleep Medicine neste ano, por exemplo, os autores concluíram que dormir de duas a quatro horas por noite aumenta em duas vezes o risco de sofrer enfarte ou Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mas para quem dorme mais de dez horas, esse risco é sete vezes maior.
 
Lenise Jihe Kim, pesquisadora da Unifesp que palestrou no congresso, afirma que que essa diferença está associada às condições do sono. Segundo ela a média de horas de sono adequada é entre sete e oito horas por noite.
 
"Basicamente, os grandes dormidores teriam maiores despertares durante a noite, ou seja, um sono mais fragmentado. E a cada despertar a gente eleva a pressão arterial e a frequência cardíaca. Isso, cronicamente, leva à hipertensão e à inflamação, alterações cardiometabólicas que favorecem um AVC ou um enfarte", disse Kim durante o evento acompanhado por reportagem do R7.
 
Fonte: Catraca Livre

COCA-COLA FAZ EMBALAGEM ESPECIAL PARA O DIA DO ORGULHO LGBT

Uma ação realizada pela Coca-Cola distribuiu, nesta quarta-feira (28), latas da bebida com uma embalagem especial em comemoração ao Dia Internacional do Orgulho LGBT. Na sede da empresa no Rio de Janeiro, os funcionários receberam latinhas personalizadas com a mensagem "Essa Coca-Cola é Fanta. E daí?", com o intuito de combater o trocadilho homofóbico.
 
O produto foi distribuído nas geladeiras de toda a empresa, e logo os funcionários começaram a compartilhar fotos das latas. Além das bebidas, eles também receberam um email falando sobre o compromisso da empresa com a diversidade. Confira:
 
A ação foi interna e não haverá comercialização das latas. Para a diretora de comunicação da Coca-Cola Brasil, Marina Peixoto, ações como essa "geram orgulho e empatia e ajudam na cultura positiva do nosso dia a dia". 
 
Fonte: Administradores

Publicidade

Fusionweb 

O melhor streaming para Rádio e Tv na Internet.

Hospedagem e desenvolvimento de Sites.

CLIQUE AQUI!

Ou ligue 41-3093-9979