Destaque

Previsão do Tempo

GOOGLE OFERECE CURSO ON-LINE GRATUITO PARA QUEM CURTE PROGRAMAÇÃO

Que tal adquirir conhecimentos em um curso oferecido pelo Google? A gigante da tecnologia oferece um curso on-line e gratuito sobre Deep Learning. Trata-se do "cérebro" artificial utilizado pela empresa para analisar grandes quantidades de dados e extrair informações.
 
As aulas estão disponibilizadas no site Udacity, plataforma voltada para o ensino da tecnologia. A duração do curso será de três meses e carga horária de seis horas semanais. Para participar é preciso ter noções intermediárias de programação e algum conhecimento sobre machine learning, sistema de funcionamento do Deep Learning.
 
O aluno vai aprender como treinar e otimizar um modelo de "cérebro" artificial e saberá sobre sistemas de aprendizagem completas em TensorFlow, um software de programação de inteligência artificial lançado pelo Google. Clique aqui e comece agora mesmo!
 
Fonte: Catraca Livre

PRATICAR YOGA AJUDA A ALIVIAR OS SINTOMAS DE ASMA

A yoga é uma prática que envolve o controle de respiração e posturas corporais e ajuda a desenvolver a autoconsciência e o equilíbrio. E os benefícios não param aí. De acordo com um estudo da Universidade Chinesa de Hong Kong, a prática também pode ajudar aqueles que sofrem com asma.
 
A equipe de cientistas chegou a essa conclusão depois de analisar 15 diferentes casos usando yoga para tratar homens e mulheres com asma leve e moderada.
 
Os cientistas acreditam que a maneira com que o yoga ensina as pessoas a respirar (pranayamas) e os exercícios de alongamento diminuem as chances de um ataque de asma, relaxando os músculos das vias aéreas, expandindo o peito e aliviando a ansiedade.
 
Estes benefícios foram comprovados por pacientes com asma que participaram de aulas de yoga duas vezes por semana.
 
Confira abaixo um exercícios completo de respiração:
 
 
Fonte: Catraca Livre

DICAS PARA NÃO SOFRER TANTO COM O INÍCIO DO HORÁRIO DE VERÃO

Para a alegria de alguns e sofrimento de outros, o horário de verão começa este ano no dia 15 de outubro e vai até o dia 17 de fevereiro. Nesse período, os relógios deverão ser adiantados em 1 hora.
 
O ajuste muda a rotina nos primeiros dias e costuma alterar o sono e o humor de muita gente. Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Psicologia da USP, o corpo humano leva pelo menos 14 dias para adaptar-se à mudança.
 
E mais grave que isso, a mudança pode trazer consequências à saúde. “A privação do sono pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como hipertensão e infarto, além de levar ao cansaço e à sonolência”, alerta o pneumologista Pedro Genta, responsável pelo Centro de Medicina do Sono HCor – Hospital do Coração.
 
Confira algumas alterações que podem ajudar o processo ser menos doloroso:
 
Comece a se preparar alguns dias antes
 
Uma boa estratégia pode ser adotada uma semana antes da mudança. Comece a ir para a cama 15 minutos antes do horário habitual. A cada dois dias, vá dormir 15 minutos ainda mais cedo que as noites anteriores. Isso irá gradualmente mudar seu ritmo de sono e sincronizá-lo com a mudança de hora que está por vir.
 
Evite café e álcool no período noturno
 
Não tome café e bebidas com cafeína de quatro a seis horas antes da hora de dormir. O álcool também deve ser evitado, pois atrapalha a qualidade do sono, podendo causar pesadelos e problemas respiratórios.
 
Ajuste seus hábitos de dormir
 
É importante ir para a cama apenas na hora de dormir e não para ler ou ver televisão, isso porque a nossa mente se ajusta ao hábito e vai entender que quando você for para a cama é com a finalidade de descansar.
 
Dê uma pausa nos exercícios físicos intensos
 
No dia da mudança, exercícios muito pesados poderão te deixar elétrico, prefira fazer atividades mais relaxantes, como alongamento, yoga e meditação.
 
Cuidado com a alimentação
 
Aposte em refeições mais leves, ricas em verduras, frutas e legumes. Isso facilitará a digestão, não te deixará pesado.
 
Não tire cochilos
 
Por mais sonolento que estiver, evite aquela soneca à tarde ou comecinho da noite, pois ela influenciará seu sono na hora que de fato tiver que dormir.
 
Respeite o horário do relógio
 
Nos primeiros dias, seu horário biológico ainda estará desregulado, é importante não segui-lo e respeitar os ponteiros do relógio. Tente ir para a cama, acordar e fazer as refeições no horário novo ou até mais cedo.
 
Fonte: Catraca Livre

PRIVAÇÃO DO SONO AJUDA NO TRATAMENTO CONTRA A DEPRESSÃO

Pessoas com depressão “brigam” com o sono. Seja porque dormem demais ou porque o sono nunca vem, a relação entre a doença e a hora de dormir costuma ser complicada, atrapalhando até mesmo o tratamento. Mas, uma terapia tem surgido nas pesquisas médicas como inovadora e com resultados surpreendentes: a privação do sono do paciente depressivo.
 
“O sono é um dos pontos primordiais no tratamento da depressão. Para melhorar um paciente em depressão, você tem que fazer com que ele durma bem e há duas formas de fazer isso: ou dá um remédio, como todo mundo faz, ou faz ele acordar antes, o que é o mais adequado fisiologicamente”, explica Felipe Augusto Dufloth, médico psiquiatra do hospital Marcelino Champagnat e do Centhre – Centro de  Tratamento do Humor Resistente.
 
Acordar antes do horário previsto faz com que o organismo se ‘reinicie’ e afete, principalmente, o ritmo homeostático do corpo – calculado pela quantidade de atividades que você faz. “Quanto mais você cansa durante o dia, maior a tendência a afundar no sono e, então, o paciente dorme melhor”, reforça o médico psiquiatra.
 
Há duas formas, conforme explica Dufloth, para fazer essa privação do sono. Ou o paciente faz uma restrição total, por 36 horas; ou parcial, acordando entre quatro a seis horas antes do horário previsto. Acordada, a pessoa é incentivada a fazer exercícios físicos, a se submeter a uma luminosidade, de preferência, natural e se alimentar de forma leve.
 
“Se no começo do tratamento você usar de todos os tratamentos, pedindo para ele fazer exercícios físicos, tomando o antidepressivo, acordando cedo pela manhã, com privação parcial do sono, o paciente melhora mais. Isso altera o ritmo biológico”, completa Dufloth.
 
Os resultados têm se mostrado positivos para boa parte dos pacientes, conforme divulgou o site médico Medscape. Em um dos levantamentos mais recentes dos principais estudos que relacionam a privação de sono com a depressão, diminuir as horas dormidas reduz os sintomas da doença em até 50% dos pacientes.
 
A privação do sono, no entanto, não pode ser feita pelo próprio paciente, mas sim controlada com as orientações de um médico.
 
“Não é ficar sem dormir, sem um controle do número de horas, do ritmo da luz. Do contrário, o paciente pode acabar piorando, porque a privação não controlada do sono piora os sintomas dos transtornos mentais”, alerta Raquel Tatiane Heep, médica psiquiatra da Prefeitura Municipal de Curitiba e professora do curso de medicina da Universidade Positivo.
 
Da mesma forma, a privação deve ser feita durante um período pré-determinado. “Os estudos indicam, às vezes, três meses, enquanto outros recomendam 12 dias e então uma pausa; outros fazem uma privação maior em menos noites. Mas o importante é que os estudos mostram que temos que rever algumas coisas. Até então tínhamos uma ideia errada do sono, de que a insônia piorava a depressão”, completa Heep.
 
Outro detalhe, alertado pela médica psiquiatra, é que os estudos excluíram pacientes que tomavam qualquer tipo de antidepressivo, o que faz os médicos repensarem para quais pacientes a terapia pode ser mais benéfica.
 
Resultados positivos não se mantêm por muito tempo
 
O lado negativo, conforme ressaltado pela literatura médica, é que a redução nos sintomas depressivos não se mantêm, geralmente, até a noite seguinte. Cerca de 80% dos pacientes apresentam recaída neste período.
 
Para pacientes específicos, no entanto, os resultados têm se mostrado melhores. De acordo com Glauber Higa Kaio, médico psiquiatra membro da Associação Paranaense de Psiquiatria, o paciente com transtorno bipolar pode ter mais benefícios com a privação de sono, especialmente quando identificado na fase depressiva da doença.
 
“Para o bipolar, você altera o humor com a privação do sono. Às vezes não são depressivos, são pacientes bipolares, mas é na fase depressiva da bipolaridade que eles procuram uma consulta e quando faz a privação de sono, altera o humor”, explica Kaio.
 
Fonte: Gazeta do Povo

13 TEMAS QUE PODEM ESTAR NA REDAÇÃO DO ENEM EM 2017

O tema da redação do Enem é sempre motivo de muita expectativa entre os estudantes. Afinal, é preciso dominar o assunto na hora de elaborar o texto e conseguir uma boa nota. Para a alegria dos vestibulandos de plantão, o canal Redação e Gramática Zica, da professora Pamella Brandão, listou 13 possíveis temas que podem estar na redação do exame em 2017.
 
Assuntos como “o aumento da expectativa de vida do brasileiro”; “desafio para democratizar o acesso à cultura”; “educação e ressocialização do sistema carcerário”; “conceito de família do séc. XX”I; “acessibilidade de pessoas com necessidades especiais”; e “direito à cidade: a ocupação do espaço urbano” são citados. Assista ao vídeo completo com a participação do professor de atualidades Daniel Augusto:

 

O canal ainda traz dicas gratuitas de gramática para o Enem, vestibulares em geral e concursos públicos. Mais conhecida como Pamba, a professora também tem um site especializado em língua portuguesa, que oferece correção de redação e plantão de dúvidas.
 
Fonte: Catraca Livre

BEBÊ SE QUEIMA COM FIO DE CARREGADOR DE CELULAR E MÃE FAZ ALERTA NAS REDES SOCIAIS

Em um momento de descuido, a bebê de 19 meses da australiana Courtney Davis encontrou o fio do carregador do celular, conectado na tomada, e o colocou na boca. O susto foi grande quando o médico confirmou que a lesão formada no canto da boca da menina se deu à eletricidade e que não havia nada que poderia ser usado no machucado porque ela poderia lamber facilmente.
 
Assustada, Courtney fez uma postagem no perfil do Facebook alertando pais, avós e babás para os perigos de deixar o carregador de celular próximo à criança pequena. “Qualquer outro dia, meu carregador não estaria na tomada e ao alcance dela, mas várias coisas aconteceram naquele dia e eu não tive tempo de tirar. (…) Ela nunca tinha tentado colocá-lo na boca e ela nunca tinha brincado com o carregador. No único dia em que não estava fora da tomada, ela colocou na boca e teve um machucado severo”, diz.
 
A mãe ainda comentou que, no início, não queria tornar público o machucado da filha, mas depois de fazer uma postagem em um grupo de maternidade no Facebook e perceber que muitos pais não percebiam o perigo de deixar o carregador de celular próximo da criança, resolveu fazer o alerta. “Pais, avós, babás, etc. Por favor, coloquem os carregadores fora do alcance das crianças. Minha filha teve sorte, mas a próxima criança pode não ter a mesma sorte que ela.”
 
Queimaduras em crianças: cuidado deve ser constante
 
Das vítimas de acidentes no Brasil, as queimaduras ocupam o 4º lugar no ranking dos acidentes que levam à morte de crianças, de acordo com dados da ONG Criança Segura. Todos os anos, cerca de 300 crianças morrem vítimas de queimaduras, enquanto 20 mil são internadas nos hospitais pelo mesmo mal.
 
Embora o risco esteja presente, principalmente, na cozinha, a atenção dos pais deve estar na casa toda. Segundo a ONG, os principais perigos para queimaduras em casa estão nas seguintes situações:
 
– Tomadas que a criança possa ter acesso fácil;
– Fios desencapados em qualquer canto;
– Água muito quente na hora do banho do bebê;
– Líquidos combustíveis, como álcool, ao alcance das crianças;
– Escaldamento, na cozinha: quando a criança vira o conteúdo quente de panelas e recipientes em cima dela.
 
Cuidados essenciais
 
Por mais que o adulto fique sempre atento, basta um segundo de descuido para que a criança se machuque. Atenção a outros detalhes, alertados pela ONG Criança Segura, para prevenir acidentes com queimaduras em crianças:
 
– Evite que a criança chegue perto da cozinha, especialmente o fogão, quando estiver cozinhando;
– Não manuseie alimentos ou líquidos quentes com crianças no colo;
– Não use toalhas nas mesas;
– Desligue ferro, secadores, chapinhas de cabelo, aquecedores e outros aparelhos depois do uso, e os guarde longe do alcance das crianãs;
– Verifique a temperatura do banho do bebê com a parte de dentro do braço ou dorso da mão;
– Coloque protetores nas tomadas ou tire o bebê do alcance dessas áreas da casa;
 
Fonte: Gazeta do Povo

Publicidade

Fusionweb 

O melhor streaming para Rádio e Tv na Internet.

Hospedagem e desenvolvimento de Sites.

CLIQUE AQUI!

Ou ligue 41-3093-9979